16 março 2010

























Rose Porto Alegre, a mãe de Dourado, diz que ele é menos preconceituoso do que a maioria dos homens. seg, 15/03/10 por Martha Mendonça (Entrevista de Martha Mendonça – Revista Época)

“Se ele fosse mesmo homofóbico, teria que se entender com a mãe dele, mais do que com o resto do Brasil”, diz a escritora, coreógrafa e astróloga Rose Porto Alegre. A gaúcha é mãe do homem que está hoje na berlinda, o polêmico Marcelo Dourado, do Big Brother Brasil 10. Inteligente, articulada, acostumada a viver cercada de artistas, ela refuta o rótulo de macho preconceituoso que tem sido atribuído ao filho. Afirma que desde pequeno Marcelo sempre conviveu com a diversidade, tanto política quanto religiosa ou sexual. “Claro que ele tem um ranço machista, com o todo brasileiro. Coisa do pai dele e do mundo da luta ao qual ele pertence. Mas nunca desrespeitou ninguém E é menos preconceituoso do que a maioria dos homens do nosso país”, garante.
Para Rose, a imagem pública de Dourado foi algo construído pelo programa,que “precisa criar uma dramaturgia”, e pela imprensa, “que compra situações que acontecem na TV sem checar se aquilo corresponde à realidade”. Apesar da crescente rejeição a Dourado – que até agora é o favorito ao prêmio -, ela diz que não tem dúvidas de que ele sai da casa com R$ 1,5 milhão. “Tenho todos os sinais de que isso vai acontecer”, afirma. Ela prefere não entrar em detalhes sobre possíveis processos contra veículos e pessoas que tenha difamado seu filho. “Estamos estudando”.

Veja alguns trechos da entrevista:
“Marcelo é exibido, sim, não tem como negar. E é um pouco esquizofrênico também, resultado de tanta gente apitando na criação dele, pais, avós, tios, todo mundo com muita opinião, muitas formas diferentes de ver o mundo. Eu tinha 20 anos e estava exilada no Chile quando ele nasceu, em 1972. Quando voltamos, ele ficava pra lá e pra cá e eu perdi um pouco as rédeas da criação dele. Mas ele não é homofóbico, ao contrário. Sempre conviveumuito bem como todos tipo de pessoa, fez escola de arte, aula de dança. Eu acho que, como lutador, ele é um grande bailarino, a luta é coreografia. Ele tem grande consciência corporal”.
“O programa precisa criar uma dramaturgia, uma historinha. E o próprio pessoal da casa ajudou, no início implicou com ele por já ter sido do BBB, por ser um lutador, criaram um antagonismo que depois acabou se dissipando. Mas o programa precisa desses antagonismos, é do jogo.”
“Tudo parte muito da ignorância das pessoas. O caso da suástica, por exemplo. Antes do nazismo, esse era um símbolo de outra coisa. Na tatuagem do Marcelo, ela aparece na saia de um samurai. Ele explicou aos outros participantes que questionaram, a Globo liberou um comunicado explicando a mesma coisa. Mas adiantou? Até agora estão dizendo que ele é neonazista. As pessoas veem o que querem ver.”
“Marcelo é mais velho e mais experiente do que todos na casa e tem uma família de muita personalidade, o que se reflete no comportamento dele, na forma de agir. É natural que quem está dentro da casa, numa situação de solidão, se apoie nele, queira sua proteção. E, de certa forma, explica também como ele é querido por milhares de telespectadores.”
“Ter um filho no Big Brother não é fácil, especialmente pra nós, que circulamos num meio mais intelectualizado, que tem preconceito. Mas desde a primeira vez nós demos força. Ele chegou a não querer, sabia que ninguém sai inteiro de uma exposição assim. Mas eu sempre disse a ele que é melhor arriscar do que ter uma vida vazia. Eu, por exemplo, apesar da violência, ainda saio andando de bicicleta de madrugada. As pessoas me perguntam se eu não tenho medo. Mas não dá para morrer de tédio.”
“Marcelo arrota e fala palavrão porque, apesar de estar sendo visto por milhões de pessoas, é como se ele estivesse entre quatro paredes. Se for a um evento público, a um lugar de gente de cerimônia, não fará isso de jeito algum. Mas tem também a influência do pai dele, de quem sou separada, que é o típico macho brasileiro, o que me cansa um pouco, mas compreendo”.


“Eu não tenho o payperview, não acompanho o tempo todo porque tenho mais o que fazer. Mas tenho lido quase tudo e me supreendo com as injustiças. Fiz um blog para falar de como é ter um filho no BBB, chamado Do Paredón ao Paredão. Não é um blog de torcida, não é um blog pra convencer ninguém a votar no Marcelo. São textos meus, coisas que penso. O BBB é uma matéria-prima incrível para quem gosta de pensar e de escrever. Mas muita gente não entendeu e os comentáriso começaram a sair do tom. Então parei. Uma pena. As pessoas não estão interessadas em crônicas, na sutileza. Não conseguem entender que antes de mãe do Marcelo Dourado eu sou uma escritora, uma artista. Não sou uma ameba. Não sou a Sra. Dourado.”
“Gosto quando vejo no programa meu filho fazendo a saudação ao sol de manhã, se energizando. Ele deve estar cansado é daquela comida ruim que eles dão lá. Será que não tem um arroz integral, não? Ele nem come mais arroz branco. Eu gosto de tudo orgânico, ele também tenta ir por esse caminho. Não sei como ainda não passou mal”
“Nesta segunda chance dele no BBB, ele tem muitas chances. Já tive sinais, coincidências, astros tarô. Acho que ele vai sair de lá com R$ 1,5 milhão. Não sei exatamente o que ele vai fazer com o dinheiro se ganhar. Claro que ele tem um discurso de que quer ajudar todo mundo da família, mas acho ótimo Marcelo não fazer demagogia, dizer que precisa, que a família é necessitada. Claro que isso tudo vai ser bom pra ele, vai ajudá-lo a tocar projetos. E esse dinheiro pode se multiplicar em outros trabalhos. Mas nós valorizamos mais outro tipo de riqueza.”
“Eu espero que até o fim da participação do Marcelo no programa, ganhando ou não, as pessoas consigam enxergar além dos rótulos. Eu sou a criadora daquela criatura que está dentro da casa E ele não é mau caráter e nem carrasco de gays. Depois de ter lutado pela democracia em nosso país, lutei por uma outra causa: de tornar meus filhos pessoas de bem e respeitosas da diversidade. Marcelo foi criado neste ambiente e nem que nas última duas décadas tivesse sido raptado por um bando de ciganos homófobos conseguiria se transformar nesse figura que estão tentando criar para ele. Ele é mesmo um aprendiz da polêmica, mas sua imagem está sofrendo uma patrulha da hipocrisia e do exagero do politicamente correto. Se ele fosse tudo que dizem dele, teria que se ver comigo. E eu sou pior do que toda a mídia junta!”
Fonte – Revista Época












Favorito no “Big Brother 10”, Marcelo Dourado é um fenômeno também na internet. Na maior comunidade de apoio ao lutador no Orkut há quase 700 mil membros. Na página principal, Dourado foi parar no cartaz do filme “Todo poderoso” no lugar de Jim Carrey. Nas outras dezenas de comunidades, ele chega a ser chamado de mito por seus fãs. No Twitter não é diferente. O @douradofacts é o novo hit do microblog, com frases impagáveis como ”Boninho não visita a casa do ‘BBB’ com medo de Dourado“.

Fonte: Jornal Extra
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
↑Top