22 agosto 2011

O Clone - verdade e mentiras

ADOREI SABER UM POUCO MAIS A RESPEITO SOBRE ÁRABES E ISLAM...
ATÉ PQ ESTOU SEMPRE PROCURANDO SABER ALGO, ALÉM DO QUE JÁ SEI. POR CURIOSIDADE E ORGULHO DE SER DESCENDENTE DE ÁRABE.




O Clone - verdade e mentiras

A novela "O Clone" já está quase terminando, mas as pessoas sempre me perguntam o que está certo e o que está errado na novela.
Lembrando que, novela é ficçao, e deve apresentar os fatos de acordo com aquilo que agradará ao público. Uma história fictícia muitas vezes foge totalmente da realidade, pois é uma criaçao da cabeça do autor. Acredito que as pessoas sao inteligentes o bastante para entender que o islam nao é vivido da forma que é apresentado na novela. 
Vou procurar resumir ao máximo possível e irei explicar somente alguns pontos que julgo interessante. 

Dança do ventre:
A dança do ventre nao é ensinada nos países árabes e muito menos difundida entre as muçulmanas. Eu nunca ouvi falar que a mulher muçulmana dançasse para seu marido na noite de núpcias, pois a maioria delas nunca teve contato com um homem antes do casamento e a última coisa que fariam seria dançar sensualmente para eles logo de cara na primeira noite.
Em muitos países árabes a dança do ventre é considerada imoral, quem a pratica nao é bem vista pela sociedade e dificilmente conseguirá casar-se. Os espetáculos da dança sao apresentados somente em locais onde a presença de turistas é superior ao número de nativos, e gostaria de ressaltar que as mulheres mais renomadas na dança do ventre atual sao as brasileiras que viajam o mundo fazendo apresentaçoes. 

Casamento no islam:
Na novela o casamento é negociado pelos familiares e a própria Latifah conheceu Mohammad no momento do noivado. Nao é assim que as coisas funcionam no islam, pois a família deve auxiliar na escolha, mas jamais escolhem e decidem sozinhas. Segundo o Livro Sagrado os noivos devem estar de comum acordo com o casamento caso contrário ele jamais deve acontecer. Os dois (homem e mulher) podem se encontrar antes do casamento e conversar, mas nunca sozinhos, sempre algum membro da família os acompanhará.
O casamento no islam é muito simples e geralmente é feito na mesquita, salvo em alguns casos que o Sheikh (autoridade espiritual) vai até a casa da família para celebrar o casamento.
No Egito, na Turquia, no Marrocos, no Paquistao e na Índia (esses eu tenho certeza absoluta) os noivos dançam e até mesmo os convidados, mas a dança está bem longe da dança do ventre apresentada na novela. Nao tem mulheres desnudas e sexy se requebrando, nao! O que tem sao os noivos, familiares e amigos dançando de acordo com a cultura de cada país e celebrando a felicidade do casamento, da nova família que está se formando.
Lembrando que o ato de dançar na festa de casamento nao é determinado pela religiao, mas vai depender de cada país e cultura. O estilo da festa de casamento também vai depender da cultura do país de origem dos noivos e da situaçao financeira das famílias. Se for uma família pobre a festa será simples e se for uma família rica a festa será mais bem arranjada, como em qualquer parte do mundo. 
Em algumas culturas, como no Paquistao por exemplo, a festa pode durar de 4 a 5 dias dividida em várias etapas ou cerimônias diferentes. As famílias trocam presentes e os noivos também (mas nao vou entrar em detalhes da cerimônia paquistanesa agora porque esse nao é o assunto em questao).


Virgindade da mulher no islam:
Uma coisa muito curiosa na novela é a apresentaçao do tal do paninho branco sujo de sangue na manha seguinte a noite de núpcias. Na novela foi dito por Zoraide que esse é um costume praticado no interior, nao sei se isso é verdade, mas caso seja, nao é assim que acontece no islam, o Alcorao nao manda sair pelas estradas com paninhos brancos manchados de sangue, cantarolando e festejando.
Tanto o Alcorao como a Bíblia ensinam tanto a mulher como o homem a se manterem castos (virgens) até o dia do casamento, pois segundo os Livros Sagrados (Bíblia e Alcorao), Deus abomina a fornicaçao e a prostituiçao.


Poligamia:
A poligamia surgiu na época do Profeta ( que a paz e a bençao estejam com ele) em um período de muitas guerras. Em consequência das guerras as mulheres ficavam viúvas e com filhos para criar e muitas acabavam prostituindo para poder alimentar os filhos. Entao, o Profeta sugeriu que o homem que tivesse condiçao de sustentar mais de um esposa tomasse outras esposas, tendo como limite quatro esposas, e tratasse a todas com total igualdade. A intençao nao era se esbaldar sexualmente, mas ajudar as mulheres que estavam desamparadas passando fome com seus filhos. No islam o homem só pode ter uma segunda esposa se a primeira concordar, caso ele insista em fazê-lo sem o consentimento da primeira esposa a mesma poderá pedir o divórcio imediatamente.
Esse tema foi totalmente distorcido na novela, mostrando mulheres jogadas, cheias de filhos, disputando um lugar dentro de casa, fazendo do ambiente familiar um verdadeiro "mármore do inferno", um absurdo!
Nos dias de hoje a poligamia ainda é praticada, mas sao casos muito isolados. Nao conheço ninguém que tenha mais de uma esposa, até porque hoje em dia as coisas nao estao nada fáceis e a maioria das pessoas nao tem dinheiro sobrando. Na Turquia, assim como em outros países islâmicos, ter uma segunda esposa nao é uma atitude vista com bons olhos diante da sociedade.


Filho Homem:
O islam nao ensina a ter preferência pelo filho homem, mas ensina a amar e aceitar os filhos, quer seja homem ou mulher. Nao existe essa discriminaçao, isso foi um absurdo passado na novela.


Idade para usar o véu:
A Samira, filha de Latifah, está vivendo um dilema dentro de casa, pois o pai dela, Muhammad, quer obrigá-la a usar o véu e a menina nao aceita de jeito nenhum. O pai alega que a filha já alcançou a puberdade e que o véu deve ser usado logo após a primeira menstruaçao. Primeiro, a menina deve estudar e entender a religiao, e depois, decidir por vontade própria se vai ou nao usar o véu, sem ser forçada por ninguém da família ou fora dela. Muitas meninas decidem usar o véu antes mesmo de alcançarem e a puberdade e outras bem depois desse período.
Claro, que em alguns países islâmicos é natural que as jovens saiam cobertas nas ruas desde cedo, mas é devido a cultura do país. Se faz parte dos costumes do país as mulheres sairem cobertas nas ruas, é normal que todo mundo siga as regras.


As roupas:


Zoraide: com certeza de todas as "muçulmanas" da novela, Zoraide é a única que se veste com mais modéstia. Quando ela está em casa usa uma espécie de turbante e abayas escuras. Esse estilo de turbante usado pela personagem nao é correto para sair as ruas, pois mostra o pescoço.
Quando ela sai de casa, usa abaya e hijab (véu) cobrindo o pescoço e o colo. Ela nao exagera nos acessórios e nem é extragante.


Latifah: no início da novela ela usava roupas e véu mais modestos, mas errava ao deixar os cabelos soltos sob véu transparente, revelando a cabeleira cacheada. As muçulmanas prendem o cabelo dentro de uma espécie de touca de malha chamada Taquia.
Quando ela casou e veio morar no Brasil o estilo de Latifah mudou completamente. Ela passou a usar um lenço preso no alto da cabeça tipo turbante e solto atrás, deixando o pescoço e o colo a mostra.
A mulher muçulmana pode ficar sem o véu dentro de casa, na presença de familiares e outras mulheres também muçulmanas, mas quando sai as ruas deve cobrir-se corretamente. Sem contar que as roupas e as jóias de Latifah sao lindas, mas muito extravagantes para usar fora de casa.




Jade: bom, a Jade é quase um caso a parte. No início da novela, logo quando ela chegou no Marrocos, ela usava um lenço enrolado na cabeça, com o cabelo solto, e abayas.
Com o passar do tempo o estilo de Jade foi mudando e ela aderiu a lenços, roupas e jóias chamativos demais. Lembrando que, dentro de casa, a mulher pode se enfeitar, usar decotes, maquiar e ficar linda para o marido, mas quando sai de casa deve usar o bom senso e nao exagerar nos apetrechos e nem na maquiagem, senao fica tudo chamativo demais.
Quando Jade sai as ruas ela usa o véu de forma incorreta mostrando o pescoço, muitas vezes usa decotes, maquiagem e jóias muito chamativas.
Só aquele lenço verde com bege, lindo, que a Jade usa na novela é nada mais, nada menos, que um Daslu de R$ 400,00 complementado com roupas de grifes caríssimas, tudo muito bem escolhido pela figurinista global. Novela é novela e quanto mais luxo mais o povo irá gostar.


Nazira: e se tem alguém que consegue ter uma vestimenta pior que a da Jade, esse alguém é Lala Nazira. Desde o início da novela ela sempre foi extravagante e exagerada e com o passar do tempo foi se revelando ainda pior. Ela usa maquiagem exagerada, decotes, muito brilho, mostra o pescoço e anda feito uma árvore de natal, enfeitada demais. É o estilo mais equivocado da novela.


Lembrando que na novela as famílias árabes sao muito ricas e tem muitas posses. Em qualquer país do mundo, os ricos vestem roupas, sapatos e acessórios de melhor qualidade e bem mais caros, isso é normal. Mas dentro do islam, seja rico ou seja pobre, deve-se usar o equilíbrio ao sair nas ruas e optar pela modéstia sempre.


Muitas muçulmanas brasileiras ficaram revoltadas com a novela O Clone, pelo fato de que as pessoas nas ruas passaram a nos comparar com as personagens da novela e sao muitas piadinhas que ouvimos no dia a dia. Mas, se nao fosse a novela O Clone seria qualquer outra coisa, os preconceituosos só querem uma desculpa para o deboche e o sarcasmo.
Claro que quando estou no centro da cidade caminhando tranquilamente e um fulaninho dispara um lálálálálálálá do nada ou grita pela Jade, nao é nada agradável, mas é suportável. Eu nao vou deixar com que isso destrua meu humor e nem meu dia.
As piadinhas nao acontecem somente por causa da novela, pois esses dias estava caminhando tranquilamente e quando passei em frente a uma construçao bem no centro da cidade, os pedreiros começaram a gritar por Barack Obama (nem Barack Obama escapou, hahahaha). Minha reaçao na hora foi de espanto, mas simplesmente ignorei. Eu nao to nem aí para as piadinhas de mal gosto, afinal de contas nenhum fulaninho preconceituso me dá um pedaço de pao pra comer, entao "Dane-se!".

REFERENTE A ESTE FATO... PRECONCEITO SEMPRE EXISTIU... COMIGO, ENTÃO, SÓ SABEM DIZER QUE SOU TURCA. QUANDO, NA REALIDADE, SOU DESCENDENTE DE 


SÍRIO.




FONTE: http://muslimahfashionn.blogspot.com/

1 comentários:

Hana disse...

Oie Andrea, fico feliz que tenhas gostado do meu post, eu procurei explicar da melhor forma possível.
Florzinha só faltou o link do meu blog junto com o post :)

Aqui na minha cida tem mtos palestinos e a cidade inteira chama eles de turcos tbm. Que coisa né?

Vim retribuir a visita e já estou seguindo ;) seja mto bem vinda lá no meu cantinho.

bjiimm e ótima 3ª feira

http://muslimahfashionn.blogspot.com

http://meuamorpaquistanes.blogspot.com/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
↑Top