03 outubro 2011

Como enfrentar a dor de amor? | Relacionamento - Donna

Como enfrentar a dor de amor?

Todo mundo alguma vez na vida sofreu ou vai sofrer por amor, dicas simples ajudam a passar pelo momento


Stock Photos / Divulgação
Cristina Vieira | cristina.vieira@diario.com.br

Mestre Chico Buarque sofreu. A Rita levou o sorriso dele, o coração, os 20 anos e ainda deixou mudo o violão. Menos erudito, mas não menos sofredor, o sertanejo Gustavo Lima assumiu: tá doendo tudo. Vai parar meu coração. Chico e Gustavo, em épocas e estilos dissonantes, cantaram a dor de amor com igual propriedade, fazendo de A Rita e deMal de Amor, sucessos sonoros.

Caetano, Shakespeare, Goethe, Fernando Pessoa... Há muitos gênios que emplacaram a popularidade ao expressar a dor amorosa. O sofrimento pelo fim de um romance é uma vivência da qual dificilmente se escapa. Também não se compara a outras perdas amorosas, o que não quer dizer que seja mais intensa, apenas que mexe com a gente de um jeito invasivo. Os números de suicídio juvenil são a materialidade mais trágica do mal de amor. Dar cabo da própria vida e por vontade própria é o segundo jeito com que jovens entre 15 e 24 anos mais morrem no mundo, depois de acidentes de carro. E, de acordo com o psicanalista Marcos de Noronha – membro da Associação Mundial de Psiquiatria Cultural –, um dos principais fatores desencadeantes deste tipo de morte é a dor de amor. A taxa brasileira é de 4,5 para cada 100 mil habitantes. No Sul, é 20 para cada 100 mil, proporção em nível europeu.

— Sofrem do mal de amor aqueles que têm dificuldade de relacionamento. Quando perdem, supervalorizam o ser amado, porque acham que não vão encontrar outra pessoa. A religião estabelece rituais para situações que geram dor e ansiedade em demasia. No caso da morte, temos o funeral. Com o ritual, você torna a dor coletiva, minimizando-a. Mas temos ritual para fim de namoro ou separação? — comenta.

Alguns precisam de terapia para superar, caso de que tem uma ligação de dependência com o sentimento amoroso.

— Psicoterapia e não remédios. Ou apenas trocarão o objeto de dependência, o ser amado por um fármaco — afirma Noronha.

Mas sorria! Como todo mundo um dia sofrerá de amor, é certo que a dor irá embora. O Chico é de novo uma grata inspiração. Os versos de Minha Pequena (Meu tempo é curto, o tempo dela sobra/ Meu cabelo é cinza, o dela é cor de abóbora/ Temo que não dure muito a nossa novela, mas/ Eu sou tão feliz com ela) são recentes, cheios de graça. E nenhum sinal de Rita. São para a jovem namorada, a cantora Thaís Gulin, 31. Quer uma receita para superar a dor de amor? Vanessa Pinho, autora do blog"Por Aqui" dá algumas dicas:

Final de relacionamento é sempre ruim. Não importa quem decidiu ir embora. Apego, saudade, costumes, manias (som de caixinha de música ao fundo). Você passou anos convivendo, fez planos, sorriu em reuniões familiares, curtiu momentos e frases no Facebook. E agora que tudo acabou, pra onde ir? Nem com GPS você se encontra.

Minha dica é: chore, escute músicas do Caetano, leia cartas, apague fotos do Facebook, fique noites sem dormir, diga que vai mudar, durma, acorde com o olho todo borrado. É um ritual de passagem. Não adianta engolir choro e fazer de conta que está tudo bem. A coisa volta com força maior depois. Não faça de conta que nada aconteceu. Não saia pra todas as festas da cidade, não beije um desconhecido.

Não poste fotos novas simulando alegrias em redes sociais, não escreva "de boa" nas legendas pra mostrar que está "sussa" (odeio esse tipo) e não frequente baladas.

Invista em você. Veja filmes, leia livros que estão na fila de espera, compre um vestido de paetês. Resumindo: se encontre, antes de sair por aí procurando. Mulher quando termina namoro fica louca. Quer mostrar uma alegria que não existe. Como se felicidade vendesse em pacotinho na farmácia. Tempo deveria ser vendido. Esse cura tudo.

DONNA DC

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 
↑Top